sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Reportagem do Jornal O Povo.

Os monges beneditinos rezam a missa, aos domingos, com cânticos gregorianos e orações em latim na capela do Mosteiro, em Fortaleza. É a única missa nesse estilo na Capital. O canto de entrada é em português, mas logo começam os cânticos gregorianos e as orações em latim como o Credo e o Pai Nosso.
A missa conventual gregoriana, celebrada na capela do Mosteiro de São Bento na Comunidade da Paupina, em Messejana, reúne um grande número de fiéis de vários bairros de Fortaleza. É aos domingos, a partir das 10 horas, quando a capela, dedicada à Nossa Senhora de Guadalupe, fica cheia. A assembléia, acostumada com o rito, também já sabe cantar e rezar em latim. O engenheiro Luiz Sombra, que há oito anos freqüenta e ajuda no Mosteiro, dispensa até o livrinho para o acompanhamento dos fiéis, pois já sabe de cor. "Costumo trazer os meus filhos e o que tem 10 anos disse pra mim que já sabia latim e citou a parte da oração do Credo:'judicáre vivos et mórtuos' (julgar vivos e mortos). Eles também gostam da missa rezada pelos monges beneditinos". O engenheiro, que mora com a família no bairro de Fátima, sabe todos os ritos da missa e ressalta a beleza de cada um deles, principalmente por ser toda cantada, até o anúncio do Evangelho. "Celebramos de acordo com o missal de Paulo VI, aprovado no Concílio Vaticano II (1962-1965), não é a celebração de acordo com o missal de São Pio V, a chamada missa tridentina (por causa do Concílio de Trento) que é da época de 1500", destaca o prior do Mosteiro de São Bento, dom Beda Pereira de Holanda que, ontem pela manhã, presidiu a celebração eucarística. O abade lembra, porém, que em vários países, a missa e celebrada em latim que ele não considera uma língua morta. "Em Roma (Itália) quando há congressos religiosos e outros locais, quando o sacerdote e o grupo entende o latim, então celebra-se nessa língua. O mesmo que celebrar em alemão, se no local só se entende esse idioma, ou espanhol em países que falam essa língua". Dom Beda considera que o papa Bento XVI fez bem em liberar que os fiéis possam pedir aos sacerdotes para rezar a missa no antigo ritual de São Pio V. Essa solicitação já pode ser feita partir do dia 14 de setembro, quando se celebra a Festa da Exaltação da Santa Cruz. No rito tridentino, o celebrante fica de costas para a assembléia. Reza em latim e o sacristão (leigo que ajuda na missa, entre outras funções) responde. Os fiéis acompanham pelo missal (livro próprio da celebração) que, numa nova versão, será bilíngüe.
No Brasil, por exemplo, virá com as respostas em latim e português. Sacristão durante 33 anos (1960-1993), João Ferreira da Silva, 80, o "seu" Joãozinho, recorda que ajudava ao padre Tito Guedes, o frei Wilson e o monsenhor André Camurça, entre outros, na Catedral Metropolitana de Fortaleza. "Como a missa era em latim, a gente decorava as respostas. Sabia tudo na ponta da língua", recorda o aposentado que mora em Messejana. Seu Joãozinho estudou durante 15 anos no Convento dos Frades Franciscanos, em Guaramiranga, no Maciço de Baturité, onde nasceu. "Lá comecei a ser coroinha e ajudar nas missas. As pessoas que assistiam à missa não entendiam nada. Muitos ficavam fazendo outras orações", completa. A missa tridentina não tinha sido proibida pela Santa Sé, mas para rezá-la era preciso a autorização do bispo que poderia negá-la. Na recente Carta Apostólica (Motu Proprio Summorum Pontificum), Bento XVI estabelece a liberação do uso do missal de São Pio V aos sacerdotes, sem a necessidade de aprovação do bispo. E-MAIS O Mosteiro de São Bento fica na rua Luís Fidélis, 939, na Comunidade da Paupina, em Messejana e o telefone é (85)3276 2018 Foi fundado há 15 anos e atualmente lá vivem oito monges que têm como prior (superior) dom Beda Pereira de Holanda, um pernambucano de Ouricuri que já completou 50 anos de clausura. Os monges celebram todos os dias as missas em português às 18 horas, na capela de Nossa Senhora de Guadalupe, dentro do Mosteiro e, aos domingos, às 10 horas, a missa conventual gregoriana com orações em latim. Recebem os fiéis para confissões todos os dias, a partir das 17 horas. O Mosteiro das monjas beneditinas fica no Condomínio Espiritual Uirapuru, no bairro Dias Macedo e existe em Fortaleza há 13 anos, segundo dom Beda de Holanda. 27/08/2007 00:57:01

1 comentários:

Dianini disse...

mim chamo Dianini moro em tianguá ceará gostaria de conversar com um monje pelo orkut meu endereço e:Dianini_k@yahoo.com.br