sexta-feira, 28 de junho de 2013

REPORTAGEM SOBRE O MOSTEIRO - POR DIÁRIO DO NORDESTE

Verdadeiros Territórios da Paz: Fortaleza tem bairros com índice de criminalidade próximo a zero



Pode ser um bairro com jeitão de interior, perfil universitário, grande desenvolvimento econômico ou apenas um bairro, com histórico de violência, mas que recebeu reforço na segurança. 


O que importa para os habitantes dos 15 bairros e 1 localidade de Fortaleza é que durante todo o primeiro semestre de 2012 não foi registrado nenhum homicídio. Em dois desses territórios a situação é ainda melhor: nada de roubo ou furto de veículos, nem apreensão de armas ou drogas também. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS-CE).

Vale registrá-los: Bairro de Lourdes, Luciano Cavalcante, Guararapes, Salinas, Amadeu Furtado, Parque Araxá, Presidente Kennedy, Benfica, Bom Futuro, Damas (embora nesse bairro tenha ocorrido um homicídio em julho), Gentilândia (localidade que integra o bairro do Benfica), Parreão, Coaçu, Guajeru, Parque Manibura e São Bento (um dos mais novos bairros da Capital, mostrado na foto acima).

Esses podem ser considerados bem mais dignos do título de “Território da Paz” do que aqueles incluídos no programa federal de mesmo nome. Passados quase três anos da implantação desse projeto em cinco bairros de Fortaleza, 9,2% dos homicídios registrados no 1º semestre de 2012 seguem concentrados naquela parte da Capital. 

A região beneficiada engloba os bairros do Siqueira, Canindezinho, Bom Jardim, Granja Portugal e Granja Lisboa, mas apesar de alguns avanços, a julgar pelas estatísticas, ainda vai demorar para que eles façam jus ao título recebido.

Diário do Nordeste visitou quatro bairros “homicídio zero”

Para conhecer melhor a realidade dessas zonas da Capital, o Diário do Nordeste Online visitou quatro desses bairros (incluindo uma localidade), sendo um em cada Regional. 

Foram três dias em que nossa equipe conversou com moradores, trabalhadores, comerciantes, religiosos ou apenas frequentadores desses verdadeiros “territórios da paz” e observou também as possíveis razões para que a violência seja tão reduzida nessas regiões. 

Foram escolhidos os bairros São Bento, na Regional VI; Benfica (incluindo a Gentilândia), na Regional IV; Guararapes (ou Patriolino Ribeiro), na Regional II; e Amadeu Furtado, na Regional III.

Nesta sexta-feira (27) vamos conhecer o bairro São Bento; no sábado, os bairros Benfica/Gentilândia e Guararapes; e no domingo, o bairro Amadeu Furtado.

São Bento: o “caçula da paz” tem jeitão de interior e fé como carro-chefe

Criado a partir do desmembramento de parte do território da Paupina, o novíssimo bairro São Bento não registrou nenhum homicídio, nenhum roubo ou furto de veículo e nem foram apreendidas drogas ou armas por lá. 

As origens do bairro remontam à instalação do mosteiro de São Bento, em 1993. Em dezembro de 2008, a Câmara Municipal de Fortaleza, finalmente atendeu ao pedido de moradores e ao religioso e criou o bairro São Bento oficialmente. 


Morando no São Bento desde pouco antes de sua oficialização, o monge, Irmão Marcos, viu de perto esse processo de emancipação da comunidade. Ele ressaltou a surpresa em saber das estatísticas, mas confirmou a sensação de segurança ao andar pelo bairro. 

“Nós temos constantemente o Ronda do Quarteirão. Acredito também que o mosteiro possa ter influência nesse dado. As pessoas estão voltadas para Deus, e o mosteiro é um ponto de referência que as pessoas veem como oásis”, comparou. 

Por falar em oásis, a socióloga e promotora de eventos Lídia Amaral, que mora no bairro da Sapiranga, mas frequenta o mosteiro há dois anos também ratifica a impressão de tranquilidade do São Bento. 

"O bairro onde moro existe uma criminalidade elevada, devido a um conjunto de favelas que tem na região, mas aqui eu sempre ouvi falar que é muito tranquilo. Nenhuma ocorrência criminal e as pessoas gostam muito da região", afirma.

0 comentários: