APLICATIVOS!

Baixe o seu.

Doações: 1001197-3 Ag:0607 Conta Poupança Bradesco

CAMPANHA: MONGES NA JMJ 2016 - Conte com nossas orações!

(85) 3276 2018

CASAMENTOS, BATIZADOS E MUITO MAIS. COMEMORE A VIDA AQUI!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

MOSTEIRO DE SÃO BENTO DE FORTALEZA - (Pequeno Histórico)


O Mosteiro de São Bento de Fortaleza foi fundado a 19 anos. O Mosteiro fica localizado no bairro de Messejana-Paupina. Rua Coronel Luis Fidélis, 939. Telefone para contacto é 3276 2018. As missas são celebradas todos os dias as 18h e aos domingos as 10h são realizadas as missas conventuais com o canto Gregoriano.(Tradição em todos os mosteiros da ordem beneditina do Brasil). Venha participar da espiritualidade beneditina.O mosteiro está aberto para o público todos os dias nos horários das 9h até 20h. Temos também um salão para Buffet e outros quaisquer eventos.Dentro dessa comunidade voce vai ficar por dentro da história de Nosso Pai São Bento e todos capitulos da regra.

Chamado à vida monástica.


INFORMATIVO AOS FUTUROS MONGES Àqueles que se sentirem chamados a viver a Vida Monástica em nosso mosteiro deve entrar em contato conosco através do telefone: (0xx85) 3276-2018, ou via correspondência, nosso Mosteiro fica localizado à rua Cel. Luís Fidélis, 939 - Messejana, CEP: 60.872.420 - Fortaleza - CE. Vivemos a vida monástica cenobítica, ou seja em comunidade, com momentos específicos de oração pessoal (lectio divina) e de oração comunitária (coral). Trabalhamos no sítio e cuidamos da manutenção da casa. Além de estudarmos a nível acadêmico por conta dos estudos determinados pelo código de direito canônico para formação de padres. Há também uma formação específica para os monges que identificam sua vida monacal de outra maneira, sem necessariamente ser padre. Nos mosteiros os monges podem optar por ser monge e sacerdote ou atuar como monge em uma outra área. Uma característica particular nossa é a de vivermos segundo a Regra de São Bento e tendo como mestre espiritual um abade. Nós do Mosteiro de São Bento de Fortaleza, na pessoa de Dom Abade Beda Pereira de Holanda, nosso superior, estamos acolhendo para formação monástica, candidatos que tenham concluído o Ensino Médio e seja maior de 18 anos. Basicamente o candidato passará por uma formação inicial de conhecimento do nosso mosteiro. Isto nos três primeiros meses de experiência. E observaremos se o candidato busca realmente a Deus. Passados os três meses o candidato recebe a veste coral e passa a ser postulante por um período de 06 meses. A próxima etapa é o noviciado, nesta fase da formação monástica que dura 02 anos, o noviço passa o 1º ano do noviciado na Arquiabadia de São Salvador na Bahia, já no 2º ano ele inicia seus estudos acadêmicos na área de filosofia e telogia, vale salientar que este tipo de formação é exigida pela igreja para formação de presbíteros. Uma vez concluído o noviciado, o candidato é submetido a uma valiação da comunidade para poder professar os primeiros votos monásticos. O professo deve prometer por três anos: estabilidade, conversão dos costumes e obediência. Passados três anos de profissão, o formando pode finalmente professar os votos solenes. Se fizermos uma contabilidade do tempo estimado para se chegar a formação solene, teremos 05 anos de formação para formar um monge solenemente, e uma vez solene a formação contínua age de maneira a ajudar o formando numa maior entrega ao seu chamado. Pax!

sábado, 10 de novembro de 2007

A estória contada abaixo é uma leve ilustração da magnífica obra litúrgica da humanidade. Sou um admirador e inegável amante desse instrumento chamado órgão. Sem dúvida, ele ainda não foi superado por nenhum instrumento musical. Suas qualidades incomparáveis e incríveis o tornam um instrumento litúrgico por excelência. Infelizmente, e apesar de São Pio X, já ter escrito em seu MOTU PRÓPRIO sobre a precedência deste instrumento nas igrejas, parece-me que muitos dos responsáveis pela liturgia nas catedrais e noutras igrejas não querem valorizá-lo. Pois bem, espero que gostem da estorinha. Há muito tempo, no reino das Musas, os homens e os deuses brincavam como crianças felizes. O deus do vento ensinou os habitantes a assobiar. Pã ensinou-lhes a fazer flautas com tubos de cana de diferentes tamanhos. Aprenderam a controlar o sopro e assobiavam para não terem medo. Comunicavam com sons da boca, do pé, das mãos e faziam ritmos divertidos. Em poucos milénios descobriram muitos instrumentos musicais. Os instrumentos foram ganhando auto-estima e vaidade. Um dia reuniram-se para decidir quem seria o chefe. - Eu é que sou importante - disse a gaita. - Todos têm medo das serpentes, mas eu consigo dominá-las com o meu timbre. - Não, não! Eu sou ainda mais importante! - disse a trombeta. - Todo o mundo sabe como consegui derrubar a muralha de Jericó com a força do meu som. - Nem penses! - disse um dos outros instrumentos. - És demasiado barulhenta e perigosa. - Conhecem alguém mais importante do que eu? - perguntou a caixa de rufo. - Levo os homens para a guerra e eles andam ao meu toque, mesmo contra a sua vontade. - Não queremos guerra - disse a lira. - Eu é que sou importante. Sou conehcida em toda a Grécia e no Egipto. - Importante sou eu! - disse a flauta de Pã. Bem sabeis como eu sou de origem divina. Entretanto apareceu um rouxinol e disse: - Conhecem por acaso alguém que seja mais famoso no mundo inteiro do que eu?. Quem consegue imitar o meu canto? Os instrumentos não conseguiram chegar a uma conclusão sobre os critérios de importância. O moderador da reunião, que se chamava Ctesíbio disse: - Porque não criamos um instrumento que tenha em si a importância de todos? Um instrumento em que estejam representados o ar, a água, a terra e o fogo, a matéria e o espírito, a madeira e o metal. - Boa ideia. E como vais consegui-lo? - perguntaram. - Isso fica por minha conta - disse Ctesíbio. Anos mais tarde, Ctesíbio apresentou o seu órgão de tubos. Todos ficaram espantados com o timbre e intensidade do novo instrumento. Ao longo dos séculos, o órgão tornar-se-ia muito mais imponente e rico. Cumprindo a promessa de Ctesíbio, ainda hoje o órgão tem sons de trombeta, oboé, pífaro, viola, passarinhos e tambores. O órgão é um aerofone de teclas no qual o som é produzido pela passagem de ar comprimido pelos tubos. "Órgão de tubos" é um pleonasmo utilizado para distingui-lo claramente do órgão electrónico. O órgão é um instrumento complexo, e essa complexidade deve-se aos números de registros, teclas, teclados e tubos váriáveis. Podemos encontrar bons órgãos de tubos na região nordestina do Brasil, principalmente em Salvador na Bahia e em Recife pernambuco. No Ceará destaco o órgão da cidade de Barbalha na região do Cariri.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

DEPOIMENTOS SOBRE A VIDA MONÁSTICA

domingo, 4 de novembro de 2007

-- CANTOS GREGORIANOS -- PARA OUVIR --

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Noviciados e Profissões











Profissão Solene de Ir. Miguel Menezes







Profissão Trienal de Irmão Marcos Martins




Noviciado de Ir. Rafael Dantas em 11.10.2012




Profissão Solene de Ir. Gabriel Alves do Amaral - Solenidade de São Pedro e São Paulo 29.06.2009